terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Doenças relacionadas à obesidade



Atualmente, pesquisas mostram que o aumento significativo de peso pode aumentar os riscos de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e ate mesmo alguns tipos de cânceres. Abaixo vai a lista das doenças mais comuns com suas causas e características gerais.


Diabetes melito tipo 2
A diabetes melito tipo 2 (DM2) também pode ser chamada de diabetes não insulinodependente ocorre geralmente em pessoas obesas acima dos 40 anos ou em pessoas que não praticam hábitos saudáveis. Neste tipo o paciente desenvolve uma resistência à insulina, o que pode causar a hiperglicemia.
Alguns dos seus sintomas são: dormência nas mãos e nos pés, fadiga, aumento da sede e fome e volume da urina. O tratamento mais eficiente é a pratica de atividades físicas e dieta.
A DM2 relaciona-se com a obesidade pelo fato de que o aumento de peso dificulta a utilização correta da insulina no corpo.

Hipertensão arterial sistêmica
É caracterizada pela elevação da pressão sanguínea nas artérias, oque faz com que o coração tenha que trabalhar mais para que o sangue circule nos vasos sanguíneos. A hipertensão pode causar lesões nos vasos e pode ser um cofator para o aparecimento da arteriosclerose (esclerose nas artérias) e aterosclerose (acúmulo de lipídios na túnica intima das artérias). Podem ser tratados farmacologicamente com uso de diuréticos, inibidores adrenérgicos, vasodilatadores diretos. E pode ser tradadas com as mudanças no estilo de vida como diminuição de peso, práticas de atividade física, abandono do tabagismo e redução do consumo de álcool.
A obesidade eleva os níveis plasmáticos de leptina (causa alterações na excreção renal do sódio ) e hiperinsulinemia ( aumenta a retenção renal de sódio ) que podem levar a hipertensão.

Fibrilação atrial                                 
É uma arritmia comum sendo caracterizada por uma sequência de batimentos cardíacos irregulares e com frequência variada. Uma anormalidade no sistema elétrico do coração. Sua relação com a obesidade e tal que para 5 unidades a mais no IMC o risco de fibrilação atrial aumenta em 4%.

Aterosclerose
Pode ser chamada também de doença cardíaca coronária, é caracterizada pelo estreitamento dos vasos sanguíneos pelo deposito de gordura na túnica intima.  A aterosclerose pode levar entre outros sintomas ao um AVC e um infarto do miocárdio. Seu tratamento consiste na retirada dessas placas de gordura com cateterismo ou angioplastia.


Hipotireoidismo
O hipotireoidismo é causado pela baixa na produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina) pela tireoide. Seus sintomas são aumento de peso, intolerância ao frio, ressecamento da pele, queda dos cabelos, aumento das taxas de colesterol e do fluxo menstrual, além de infertilidade e depressão. Muitas pessoas acham que ela pode causar ao longo prazo a obesidade, mas o fato é que estudos indicam que as pessoas sofrem de hipotireoidismo tem seu peso aumentado em ate 10 %.

Apneia
O sobrepeso e a obesidade são fatores de risco o desenvolvimento da apneia. Dados demostram que a doença esta presente em 40% dos obesos, 55% dos adolescentes que se submeteram a cirurgia bariátrica e em 71 a 98 % dos obesos mórbidos.

Doenças do trato digestivo
Algumas doenças do trato digestivo estão associadas ao aumento de peso e consequentemente a obesidade. São elas: litíase biliar (solidificação da bile, formando pedra), pancreatite aguda (inchaço e inflamação do pâncreas), doença hepática gordurosa não alcoólica (relacionada à resistência a insulina e síndrome metabólica)
A obesidade também pode facilitar o aparecimento de cânceres (colón, fígado, rins) osteoartrose (processo degenerativo articular) e a depressão. E consequentemente todas as doenças faladas aqui têm muito impacto na mortalidade.


Bibliografia
Postado por Larissa Berber

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário